NOTÍCIAS
Novidades Na Mídia

Retomada das obras e ampliação do HC-UFU deve começar em janeiro de 2021

Novo consórcio foi apresentado nessa terça (1º); contrato prevê investimentos de R$ 11,7 milhões ao longo de três anos

Fonte: Diário de Uberlândia

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) realizou uma reunião na manhã desta terça-feira (1º) para apresentar o novo consórcio responsável pela retomada do canteiro no Bloco 8DJU, que abrigará a ampliação do Hospital de Clínicas (HC-UFU). O contrato prevê que sejam investidos R$ 111,7 milhões ao longo de três anos, caso todas as verbas sejam obtidas em tempo hábil para a execução do cronograma.

O anúncio foi feito após o imbróglio judicial envolvendo a empresa IBEG, construtora que venceu o primeiro processo licitatório e executou cerca de 40% das obras, entre maio de 2012 e junho de 2014, e entre agosto de 2019 e fevereiro de 2020.

O novo consórcio, a Engeform/Normatel, é liderado pela Engeform Engenharia, que já executou obras em outros 31 hospitais. Segundo um dos gestores da empresa, Eliezer Fernandes Valiante, a rotina de atendimento à população deve seguir inalterada enquanto as obras forem executadas.

Eduardo Rossetti, diretor que falou durante a reunião em nome da Engeform, ressaltou que edificações hospitalares são complexas e exigem constante aperfeiçoamento, customização e investimentos em soluções que trazem funcionalidade e segurança. Segundo ele, esta expertise adquirida na construção de hospitais é um diferencial da empresa e vai ser importante para que todas as etapas sejam cumpridas.

“Para nós, é um privilégio poder participar deste projeto tão esperado pela população de Uberlândia e região. Sabemos bem de todas as dificuldades e minúcias envolvidas neste tipo de construção, mas vamos trabalhar muito para poder atender todas as expectativas ou até mesmo superá-las”, frisou, acrescentando que o trabalho de avaliações do local e planejamento técnico já começam imediatamente para que as obras sejam reiniciadas em janeiro de 2021.

Sobre esta retomada, Ivan Marcelo Junior, representante da Normatel no encontro desta terça, acrescentou que a maior parte da mão de obra envolvida nos serviços de ampliação do HC-UFU será contratada diretamente em Uberlândia, com previsão de um pico de ate 400 operários trabalhando simultaneamente no canteiro.

FISCALIZAÇÃO E PARCERIAS

O procurados Leonardo Macedo destacou que o Ministério Público Federal (MPF) vem acompanhando com especial atenção esta nova edificação no hospital de Clínicas, desde 2015, quando começaram a surgir as primeiras dificuldades.

“Infelizmente, 95% das obras publicas brasileiras enfrentam problemas decorrentes de questões financeiras e de falhas no planejamento e, sobretudo, técnicas. Esta é uma obra complexa, que envolve mais de 30 mil itens planilhados, porém extremamente necessária para diminuir a carência de leitos e melhorar o atendimento de saúde prestado à população de Uberlândia e região. Temos a obrigação de fiscalizar a correta aplicação dos recursos investidos, bem como de sermos parceiros na captação de outras verbas que possam viabilizar a continuidade e conclusão deste empreendimento tão necessário e esperado”, afirmou.

O reitor da UFU desde 2017, professor Valder Steffen Jr. resumiu todos os esforços empreendidos pela equipe, na tentativa de viabilizar a execução desta obra, que chegou a ficar paralisada por cinco anos e foi retomada, por ordem judicial, em agosto de 2019.

“Quando foi licitada pela primeira vez, em 2011, esta era a maior obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no estado de Minas Gerais. Apenas agora, no início deste ano, conseguimos firmar uma rescisão de contrato amigável com a empresa anterior e pudemos realizar o novo processo licitatório. A expectativa é de que finalmente consigamos avançar neste projeto e entregá-lo à sociedade de Uberlândia e dos municípios vizinhos”, disse.

DADOS DO PROJETO

O Bloco 8DJU – Centro de Trauma ocupará uma área construída total de 32.965,50 m² e, quando finalizado, terá papel estratégico para o sistema de saúde pública local, pois atualmente estima-se em 800 o déficit de leitos apenas no município de Uberlândia.

Ao todo, serão disponibilizados 249 leitos e 22 salas cirúrgicas – incluindo 2 shock-rooms –, sendo que a divisão destes leitos se dará da seguinte forma: 65 para pronto-socorro, 146 de internação e 38 de UTI.

O complexo terá toda a estrutura de apoio ao tratamento de trauma, como equipamentos de imagem e diagnóstico, central de material esterilizado e heliponto. O projeto foi elaborado para atender todo o fluxo de um paciente de trauma, ou seja, ele será estabilizado na shock-room e, posteriormente, passará por Centro Cirúrgico, UTI e Enfermaria de Internação, seguindo para alta hospitalar.

Veja, no quadro o que funcionará em cada um dos sete pavimentos:

COMPARTILHE
Confira outras notícias